Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2015

Andreia Moreira - opinião sobre Que Cavalos São Aqueles Que Fazem Sombra No Mar? em Goodreads

A quem diz que não gosta de ALA
Proponho-vos um desafio: ler António Lobo Antunes. Não se riam. É caso sério. Desistem assim sem uma tentativa, pelo menos? Vão estranhar se nunca o leram, é certo. Estou segura, porém, que uma vez enredados jamais o quererão abandonar. É um dos geniais autores portugueses cuja obra completa tenho, a par de outros tantos, a aspiração de conhecer inteiramente. Se tiverem em conta que uma existência não chegará para ler tudo quanto almejamos, conceberão quão grande é a atenção que lhe pretendo devotar durante esta vida (de livros).
Chegassem estas linhas aos seus olhos e discordaria de cada uma. Divino, remoto, do fundo dos seus olhos azuis implacáveis, condenando-me o atrevimento. Tenho sorte. Não o ofenderei, decerto, com a percepção que guardo desta sua Obra (Edição em 2009). Quanto a vocês, já que aqui estão, percam mais uns minutos comigo e depois apressem-se a lê-lo se vos consegui cativar.
Que somos senão abismos? Derrocadas pessoais. Desmoronamentos …

Margarida Contreiras - opinião sobre Memória de Elefante

Psyché é uma palavra de origem grega que se traduz na linguagem actual para mente. É neste tronco terminológico que encontramos as ramificações para os termos psicologia, psiquiatria, psicose, psicanálise, psicoterapia, todos eles viventes nas páginas deste livro. Na verdade, toda a história é contada com a objectiva presa à psyché de um médico, obrigando-nos a captar a realidade filtrada pelo seu olhar. Por isso, este é um livro peculiar.
O médico que protagoniza a história é um psiquiatra de um hospital lisboeta, cuja mente carece ela mesma também de terapia. A acção nasce na fonte sensorial e sentimental do protagonista e desenvolve-se à luz do sua experiência de vida e da consequente visão denegrida que tem do mundo. Ao virar as primeiras páginas, apercebemo-nos imediatamente que esta deturpação está profundamente ligada a uma distanciação familiar que revela, simultaneamente, necessidade de afastamento e aproximação. É por isso que as grandes sensações que fazem este livro são a f…

Maria Gonçalves - opinião sobre Caminho Como Uma Casa Em Chamas

Caminho Como Uma Casa em Chamas: será possível ler Lobo Antunes sem que cada leitor faça a sua e particular leitura e entendimento? E que ainda assim lhe restem dúvidas e pedaços algo perdidos, como se de um filme complexo se pudessse reter tudo vendo-o apenas de uma só vez? 
Este é o sexto livro que leio deste autor e considero-o grandioso. Uma súmula apurada do seu estilo literário que me parece, aliás, ter-se ultrapassado. Dei comigo a pensar algo: por regra os seus personagens são de certo modo fatídicos e praticamente impotentes face às suas circunstâncias. Cogitam sobre várias formas do “se” no sentido de perceberam como alterar ou ainda efectuar algumas formas de melhoramento, mas, na verdade, vivem esmagados pela inacção, perante um passado que usurpa todos os tempos e oportunidades de vida, incluindo a alteração da mesma. O passado torna-se um presente ad eternum e o futuro é sempre o fim. O fim da infância, o fim da agilidade do corpo, o fim dos dias. Caminhar como uma casa e…

No MOT, em Olot, com Jordi Galves

10.04.2015

António Lobo Antunes no MOT - Festival de Literatura Girona e Olot 2015

O escritor António Lobo Antunes é um dos convidados da II Edição do Festival de Literatura de Girona e Olot, na Catalunha, que decorre entre os dias 9 e 11 de Abril, e que este ano terá como tema de fundo “Escrever Cidades”. Trata-se de um programa que pretende explorar a relação entre o romance e a cidade contemporânea. Londres de Lanchester; Paris de Hazan; Barcelona de Mendonza e Pàmies; Bogotá de Restrepo; Roma de Mazzuco; Berlim de Nooteboom e Beirute de Chalandon são algumas das cidades selecionadas pela comissária do Festival, Mita Casacuberta, professora de Literatura Contemporânea na Universidade de Girona.
O nosso autor participará numa conversa com o escritor e crítico literário Jordi Galves, num encontro que terá lugar na próxima sexta-feira, dia 10, na Sala La Carbonera da Universidade de Girona, dedicada aos Mistérios de Lisboa, título de um dos últimos filmes de Raoul Ruiz, numa adaptação do romance homónimo de Camilo Castelo Branco. Os 150 anos que separam ambas as obra…

Passatempo António Lobo Antunes na Web & Dom Quixote / LeYa - os premiados

No final de mês de Março, e com o apoio das Publicações D. Quixote, promovemos um passatempo junto dos leitores de António Lobo Antunes e seguidores da nossa página de facebook. Consistia em responder a três perguntas básicas sobre os livros escolhidos como prémio: Sôbolos Rios Que Vão, Não É Meia Noite Quem Quer e Caminho Como Uma Casa Em Chamas; e os três participantes que respondessem mais rapida e correctamente seriam apurados como vencedores, o primeiro premiado com os três livros, o segundo com os últimos dois títulos, e o terceiro recebendo o livro mais recente. Os participantes tinham ainda, como condição, serem seguidores da nossa página de facebook.
Encerrado o tempo de participação às 24H do passado dia 2, cabe-nos agora anunciar os 3 vencedores apurados de entre 33 participantes:
1º Tiago Pereira, de Braga 2º Beatriz Sousa, de Alverca do Ribatejo 3º Helena Bracieira, de Beja

Os premiados receberão os exemplares dos livros que lhes couberam, todos assinados por António Lobo Antu…